Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, Mulher, de 20 a 25 anos, Portuguese, English



Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Palavras do Kiko
 Palavras do Pedro
 Palavras do Douglas
 Palavras do LoveGod
 Palavras de Pura Volúpia
 Palavras de um Cafajeste
 Palavras de Loucura


 
 
Quem conta um conto, aumenta um ponto.


Cariño.

" - Mas você é diferente disso tudo. Você tem carinho pelas pessoas. "

Porque eu acho lindo sempre e sempre e sempre que lembro dessa fala.
Pois é,  acho que AMO TODOS VOCÊS! :]~



Escrito por Gabys às 11h08
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Eu não entendo. Eu não concordo. Eu não aceito.

Recentemente saiu uma reportagem da revista Época sobre uma travesti espancada em um Mc Donald's dos E.U.A.
A notícia por si só já é chocante, além de um ato extremo de crueldade e intolerância vemos cidadãos (atendentes da lanchonete e clientes) assistindo a tudo na maior condizência. Mas um detalhe me chama atenção maior nesse horror todo: as duas criaturas que aparecem espancando a travesti são negras. São duas 'pessoas' que supostamente também sofrem preconceito, também são discriminadas, julgadas, também são tidas como diferentes. E que mais do que qualquer outro ser humano deveriam saber a importância do respeito, da aceitação, da tolerância, da boa convivência.
Não só elas, mas principalmente elas, deveriam pregar a igualdade, o amor, a união (por mais difícil que seja) e repudiar qualquer forma de desrespeito, preconceito e violência. Eu que não tenho nenhum grande atributo que evoque preconceito sei disso. E muitos outros amigos, conhecidos e pessoas por aí a fora, na mesma condição, também sabem.
Agora, é realmente triste pensar que estamos nesse pé. Ninguém respeita mais ninguém ao ponto de duas pessoas mais ou menos na mesma condição conflitarem tanto. E de pessoas que deviam ter o mínimo de senso de intervensão ficarem assistindo. E de uma das maiores redes de fast food do mundo, conhecida por um slogan de aceitação dizer que vai demitir o funcionário que filmou tudo e 'investigar o assunto'. O que há para ser investigado com um vídeo tão chocante? Onde funcionários nada fazem e claramente riem da cara da travesti, além de ajudarem as agressoras a fugir do local para não serem pegas em flagrante?! A única que se salva nisso tudo é a senhora (cliente) que não consegue ficar impune diante de tamanho horror e intervém como pode evitando que a travesti acabe mais ferida e/ou morta.
Diante disso tudo eu só consigo lamentar o rumo que a humanidade está tomando, repudiar tal atitude violenta, esperar que a humanidade não chegue assim no futuro e nunca mais comer num Mc Donald's na vida. Lamentável.

Assistam o vídeo e tirem suas próprias conclusões:



Escrito por Gabys às 14h29
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



He's not a boy!

 

Porque as vezes a gente descobre preciosidades na música. E essa é uma daquelas músicas que a gente
quer colocar todas as frases como subnick ou postar no twitter. ;P



Escrito por Gabys às 08h52
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Fita verde no cabelo - a velha nova história.

"Havia uma aldeia em algum lugar, nem maior nem menor, com velhos e velhas que velhavam, homens e mulheres que esperavam, meninos e meninas que nasciam e cresciam. Todos com juízo, suficientemente, menos uma menininha, a que por enquanto. Aquela um dia, saiu de lá, com uma fita verde inventada no cabelo.
Sua mãe mandara-a com um cesto e um pote, à avó, que a amava, a uma outra e quase igualzinha aldeia. Fita-Verde partiu, sobre logo, ela a linda, tudo era uma vez. O pote continuava doce em calda, e o cesto estava vazio, que para buscar franboesa.
Daí, que, indo no atravessar o bosque, viu só os lenhadores que por lá lenhavam, mas o lobo nenhum, desconhecido nem peludo. Pois os lenhadores tinham exterminado o lobo. Então, ela mesma era quem se dizia: “Vou à vovó com cesto e pote, e a fita verde no cabelo, o tanto que a mamãe me mandou.” A aldeia e a casa esperando-a acolá, depois daquele moinho, que a gente pensa que vê, e das horas, que a gente vê que não são.
E ela mesma resolveu escolher tomar este caminho de cá, louco e longo, e não o outro, encurtoso. Saiu, atrás de suas asas ligeiras, sua sombra, também vindo-lhe correndo em pós. Divertia-se com ver as avelãs do chão não voarem, com inalcançar essas borboletas nunca em buquê nem em botão, e com ignorar se cada uma em seu lugar as plebéinhas flores, princesinhas e incomuns, quando a gente tanto por elas passa. Vinha sobejamente. Demorou, para dar com a avó em casa, que assim lhe respondeu, quando ela toque, toque, bateu:
- Quem é?
- Sou eu... – Fita- Verde descansou a voz – Sou sua linda netinha, com cesto e pote, com fita verde no cabelo, que a mamãe me mandou.
Vai, a avó, difícil disse:
- Puxa i ferrolho de pau da porta, entra e abre. Deus te abençoe.
Fita-Verde assim fez, e entrou e olhou.
A avó estava na cama rebuçada e só. Devia, para falar agagado e fraco e rouco assim, de ter apanhado um defluxo. Dizendo:
- Depõe o pote e o cesto na arca, e vem para perto de mim, enquanto é tempo.
Mas agora Fita-Verde se assustava além de entristecer-se de ver que perdera sua grande fita verde no cabelo atada, e estava suada, com enorme fome de almoço. Ela perguntou:
- Vovozinha, que braços tão magros os seus, e que mãos tão tremenstes!
- É porque não vou poder nunca mais te abraçar, minha neta... – a avó murmurou.
- Vovozinha, mas que lábios tão arrocheados!
- É porque não vou nunca mais poder te beijar, minha neta...- a avó suspirou.
- Vovozinha, e que olhos tão fundos e parados, nesse rosto encovado e pálido?
- É porque já não te estou vendo, nunca mais, minha netinha... – avó ainda gemeu.
Fita-Verde mais se assustou, como se fosse ter juízo pela primeira vez...
Gritou:- Vovozinha, eu tenho medo do Lobo!
Mas a avó não estava mais lá, sendo que demasiado ausente, a não ser pelo frio, triste e tão repentino corpo."
                                                                                                                                                                                                                                               Guimarães Rosa


Escrito por Gabys às 21h13
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Você (não) vai conhecer o homem dos seus sonhos.

Quando se conheceram não foi mais que mero acaso.
Ao se trombarem pela segunda, terceira, quarta vez foi uma coincidência do destino.
O momento que se gostaram foi num sem querer tão grande que nem perceberam.
O dia que se juntaram, nem lembram.
Ao aparecerem os primeiros disabores, tudo parecia comum.
Quando se desgostaram foi banal.
Finalmente o término foi numa ação corriqueira.
Até hoje não se recordam muito bem um da cara do outro.



Escrito por Gabys às 01h03
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Desmemória.

Longínquo é um passado que não conseguimos mais lembrar.
Passado são pessoas, coisas e situações que mal estão na lembrança.
Lembrança é uma coisa esquecida, pois, quem se lembra um dia esqueceu.
Esquecimento é uma palavra muito grande, complexa de se entender e bastante negativa e deveria ser esquecida.
Entender é analisar muito alguma coisa até sacar o que ela veio dizer a você.
Dizer é passar uma mensagem através do sussurro, da fala, do grito.
Gritar é querer que aquilo que foi dito não saia da lembrança.
A lembrança é longínqua e está no passado, esquecida por alguém que provavelmente não entendeu nada e não quer dizer.
Se ao menos ela tivesse sido gritada...



Escrito por Gabys às 23h48
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Tudo que eu sempre sonhei.

" Sempre pensei que aconteceria, de criança acreditava nos adultos que era só pagar pra ver.
Feio, meio assim desconfiado, perna em xis, já barrigudo, duvidando que eu conseguisse crescer.
Mesmo assim, contudo, o tempo foi passando e eu fui adiando, mudo, os grandes dias que ia conhecer. Quem sabe amanhã? Próximo ano?
Cebolinha com seus planos infalíveis ia me ensinar a ser forte, corajoso, bom de bola, um dos bonitos da escola, muito embora eu não fizesse questão.
Ainda bem que eu sou brasileiro, tão teimoso, esperançoso, orgulhoso de ser pentacampeão.
Já que se eu fosse americano pegaria uma pistola e a cabeça ia perder a razão: mataria quinze na escola, estouraria a caixola e apareceria na televisão.
E por fim cresci, de insulto em insulto eu me vi como um adulto, culto, pronto pra o que mesmo? Já nem sei.
Olho e não encontro, penso se não fui um tonto de acreditar no conto do vigário que escutei.
Não tem carro me esperando, não tem mesa reservada, só uma piada sem graça de português.
Não tem vinho nem champanhe ou taça, só um dedo de cachaça e um troco magro todo fim de mês.

Tudo que eu sempre sonhei, tanto que eu consegui, é tão bom estar aqui, quanto ainda está por vir.

Mas bobagem, quanta amargura, eu já sei que a vida é dura, agora é pura questão de se acostumar.
Basta ter coragem e finura e o jogo de cintura aprendido dia a dia, bar em bar.
Pra que reclamar se tem conhaque, se na tevê tem um craque e o meu Timão só entra pra ganhar?
Pra que imitar Chico Buarque, pra que querer ser um mártir se faz parte do momento se entregar?
E por fim tem até namorada, bonitinha, educada, séria, tudo o que mamãe vive a pedir.
Tem beijinho e também trepada e a consciência pesada a cada nova vontadinha que surgir de outra mulher, de liberdade, de um amor de verdade, de poder fechar os olhos e sorrir.
Pensando que então, dali pra frente, seja qual for tua idade, o melhor ainda vai estar por vir!

Tudo o que eu sempre sonhei, tanto que eu consegui, é tão bom estar aqui, quanto ainda está por vir. Eu sei. "

                                                                                                                                                                                                                                                                                           Luis Venâncio.

 



Escrito por Gabys às 14h12
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Advertisement what?

Ontem o Vlogger Felipe Neto postou um link para o seu vídeo de propaganda da Wise Up - Escola de Idiomas, no Twitter. Pesquisando no youtube você também
encontra o vídeo publicitário do ator? Fiuk para a mesma empresa.
Isso na mesma hora me lembrou da segunda feira de feriado em que eu estava bebendo com o ficante e um amigo dele (extremamente bêbado) sabendo que sou
professora de Inglês veio me falar das maravilhas da Wise Up.
Me dizia o rapaz (que é do departamento de adm. ou marketing da empresa, não lembro) que a escola é uma das mais inovadoras do setor; tem obtido resultados
animadores e que eles estão realizando feitos incríveis, tais como colocar o Felipe Neto e o Fiuk pra fazer propaganda do setor Teen numa mesma época. Falar bem
da empresa onde se trabalha, ok. Fazer propaganda do seu peixe, ok too. Mas dizer que a empresa é foda só porque juntou duas personalidades (no pensamento dele 'rivais')
distintas numa campanha publicitária? Me desculpe, mas isso é pura besteira!
Eu estou mesmo procurando emprego (ele disse que me ajudaria a 'entrar' lá), mas se fosse trabalhar nessa empresa seria por que fui conhecer e gostei do lugar,
da metodologia, dos professores e não porque eles tiveram uma jogada de marketing 'brilhante' ou algo parecido.
E acredito que o mesmo pensamento se aplica aos alunos em potencial. Eu jamais estudaria numa escola só porque o Fulano fez propaganda na tv, internet e afins e
eu amo esse Fulano. Ou deixaria de conhecer mais a respeito só porque não gostei do garoto propaganda. É a minha educação que está em jogo, não a dele.
Tudo bem que o Felipe tem que atrair as pessoas até a Wise up e tal (poder de convencimento da propaganda), mas com o intuito de conhecer a proposta. Segurar o aluno/empregado
lá é função da escola.
Afinal, não é porque o Rodrigo Santoro faz propaganda pra eles há dois anos (fato que a escola se gaba) que você vai entrar numa unidade deles e encontrar o
Santoro lá, pronto pra fechar sua matrícula.



Escrito por Gabys às 20h51
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Das dedicatórias.

Para um amigo que vê na sétima arte uma experiência enriquecedora. De uma amiga que acredita que só a literatura é a saída para todas as coisas do mundo.
Uma história para quem já sabe onde vai, para quem ainda não se achou, para quem acha que sua vida daria um filme!

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                     Um beijo,

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                      Gabriela.

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                            25/01/11

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Um presente especial para um amigo bem mais que amigo (e eu não sabia o quanto:  especial e amigo).  : ]



Escrito por Gabys às 13h43
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Play the repeat! 3

Porque minha vida tá uma merda e eu tô pulando e cantando que nem uma retardada feliz! ;]



Escrito por Gabys às 14h35
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Play the repeat! II

In this exact moment I'm listennig to Superstar - Carpenters. Somehow the lyric is getting into my head while tears drop in my face. Few things can make me shake this way. And Carpenters do. 
I just remeber my mother's face, a beautiful one, when I gave her the Carpenters DVD. I found it inside an old DVD equipment my gradma bought. The thing is don't know why I still like to see my mother's happiness, to put a smile on her face. And we sat down to watch the show, admire Karen's voice and make fun of the nice video-clips like "Please Mr. Postman". So Carpenters for me is a great memory. We were not fighting, disagreeing or hating each other. We were just watching that couple sing.
Nowadays we still live in a Hell and I wished we hadn't hated so much our hole history. Then I hear the song and feel that peaceful moment coming back and so I cry like a fragile little kid just feeling it. I wish you and me could go back in time and fix our situation as Karen could come sing for us again...I can dream, can't I?

 

 



Escrito por Gabys às 08h19
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Old picture, new frame.

De repente me encontro aqui. Numa grandeza tão imensa que minhas palavras não poderiam expressar. Olho para onde me encontro e percebo o novo cenário, a nova trilha sonora,
o novo caos de gravação desse filme da minha vida. Um tanto assustada, outro tanto aliviada por ter conseguido até agora. Por ter visto o mundo virar de ponta cabeça na mais natural das expressões.
Ahh...mamãe ficaria impressionada com o quão moderna eu fiquei. O quanto absorvi do Mundo e o quanto ele me absorveu para si e absolveu meus pecados mundanos. 
Muito obrigada Mundo por ter me feito assim, ter me conservado assim e  ter me mudado assim na hora certa.



Escrito por Gabys às 19h40
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Amigo de casa e asa.

Esse foi provavelmente um dos fim-de-semana mais inspiradores dos últimos tempos.  A amizade, o acolhimento, a alegria, as boas energias, o estamos-aí-pra-o-que-der-e-vier,
a casa, a decoração simples e  sublime, a coleção de LP's, os Beatles na vitrola todos os dias, um cantinho para eu me abrigar do vendaval da vida.

Ah meu amor, você poderia cantar mais uma música para mim? Porque quando você canta, enche meu coração de alegria e luz.

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                  Little Joy.

" Obladi, oblada, / Life goes on, bra / La la how life goes on /
Obladi, oblada / Life goes on, bra / La la how life goes on..."


Escrito por Gabys às 22h19
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



MOÇO.

Esse moço é bom moço,
Esse moço é bem moço,
Esse moço é MEU moço!

Fosse esse moço um colosso,
Seria um troço esse moço.
Fosse esse moço um poço,
Seria fundo esse moço.
Fosse esse moço mau moço,
Ainda assim seria MEU moço!

PORQUE EU AMO ESSE MOÇO!



Escrito por Gabys às 13h57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Existêncialismo de uma bexiga.



Escrito por Gabys às 09h19
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]